Toxina Botulínica

A ação da toxina botulínica se dá através do bloqueio da condução neuromuscular ou seja, ela produz uma paralisia muscular localizada temporária durando alguns meses, até que o músculo comece a desenvolver novos receptores, voltando à sua função normal. A toxina não age a nível de SNC (sistema nervoso central).

O uso da toxina botulínica e sua aplicação terapêutica vêm abrindo espaços nos consultórios odontológicos por propiciar diminuição considerável nas dores de cabeça e faciais, tornar o sorriso mais harmônico em pacientes com exposição exagerada de gengiva, além de outros benefícios estéticos. Em abril de 2014 o Conselho Federal de Odontologia (CFO) altera o artigo 2° da resolução 112/2011 para 145/2014, dando permissão ao uso de toxina botulínica por cirurgiões dentistas em procedimentos terapêuticos. Somente profissionais devidamente habilitados podem realizar procedimentos utilizando a toxina botulínica.

INDICAÇÕES NA ODONTOLOGIA:

Correção do sorriso gengivalL: através do bloqueio dos músculos elevadores do lábio superior e asa do nariz, melhorando a estética do sorriso e devolvendo a auto estima do paciente.

Estética facial

Bruxismo

Cefaleias tensionais: decorrentes da contratura muscular por estados de tensão, stress e sobrecarga, nestes casos a toxina atua diminuindo a intensidade da dor e prolongando o espaço entre as crises.

Enxaquecas crônicas: neste caso, o principal objetivo é reduzir a duração, frequência e/ou severidade do ataque. Deve ser um tratamento continuo para observação de melhores resultados, não deixando ultrapassar 6 meses entre cada aplicação (ideal a cada 4m). Melhores resultados começam a partir da 3ª aplicação.

Reabilitação de pacientes om assimetria facial: decorrentes de AVC, espasmos musculares, tiques.





TOP